Conversores interativos de famílias de baixa renda terão Ginga C

Repórter: O Fórum do Sistema Brasileiro de TV Digital, que congrega radiodifusores, indústria e comunidade acadêmica aprovou nesta semana as normas técnicas do Ginga C. O programa vai fazer parte dos conversores de sinal que vão ser distribuídos aos beneficiários do programa Bolsa Família. A medida faz parte do processo de desligamento do sinal analógico de televisão. O objetivo é permitir que essas famílias tenham acesso ao sinal digital mesmo que possuam televisores analógicos.

Além do novo sinal de TV, o governo também pretende levar a essas famílias, uma programação com interatividade e acesso a aplicativos de governo por meio do conversor. De acordo com o gestor do projeto de implantação da TV digital no Brasil, William Zambelli, o sistema escolhido vai permitir armazenar uma capacidade maior de conteúdos e serviços:

William Zambelli, Gestor do projeto de implantação da TV digital no Brasil: Na comparação com as demais versões, Ginga A e o Ginga B, o Ginga C foi criado para dar maior capacidade de armazenamento de dados para o conversor digital, o set top box, como, por exemplo, aplicativos e arquivos multimídia. Dessa forma ele terá mais espaço para manter os aplicativos residentes e para baixar mais conteúdos.

Repórter: A escolha do Fórum de TV digital vai ser homologada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas, a ABNT e servirá como regra para os produtores de aparelhos e aplicativos que utilizem o Ginga C.

 

Data de publicação: 10/6/15

Fonte: Conexão Minicom